Em meio à crise atual causada pela Covid-19, Fiesp, Ciesp, Sesi, Senai e IRS estão empreendendo esforços para ajudar nosso país, nossas empresas e toda a sociedade a atravessarem da melhor maneira possível este período difícil. Neste portal, estão reunidas suas principais ações e notícias nesse sentido.
Senai

Senai-sp fortalece parceria com a Poli, da USP, para fabricação de peça para protótipo de ventilador pulmonar

 

A atribuição do Senai-SP foi a de dar suporte à produção de um componente do respirador Inspire, a peça fuso, que faz a movimentação do pulmão artificial.

 

A Fiesp e o Senai-SP fortaleceram a parceria com a equipe multidisciplinar da Escola Politécnica (Poli), da Universidade de São Paulo (USP), para o projeto Inspire. O grupo da Poli é responsável por tirar do papel, de forma pioneira, o protótipo de um ventilador pulmonar de baixíssimo custo e fácil fabricação cuja função é a de suprir a alta demanda do aparelho hospitalar em razão da pandemia do COVID-19.

A atribuição do Senai-SP foi a de dar suporte à produção de um componente do respirador Inspire, a peça fuso, que faz a movimentação do pulmão artificial. As entidades reiteraram a cooperação neste trabalho e em próximos, durante videoconferência, realizada pelo Conselho de Inovação e Competitividade (Conic), da Fiesp, na manhã desta quarta-feira, 29/04.

Neste caso do protótipo do ventilador pulmonar batizado de Inspire, o Senai-SP segue desempenhando um importante: o de fornecer a pesquisa aplicada desenvolvida pelos profissionais da escola Senai Suíço-Brasileira Paulo Ernesto Tolle.

O gerente de Inovação e Tecnologia do Senai-SP, Oswaldo Maia, explicou que a equipe da Poli, USP, procurou os profissionais da instituição com a finalidade de suprir a dificuldades na microfabricação desse componente em aço. “Fizemos os testes de usinagem e a documentação dessa peça. E, a partir disso, estamos produzindo os componentes para serem testados nesta fase e que contribuem para o respirador atingir as especificações que a equipe programou”, contou.

Durante a videoconferência, os pesquisadores da Poli, USP, apresentaram as especificações do protótipo do respirador, que está sendo produzido em caráter emergencial e com preço estimado em R$ 1 mil reais. O respirador mais barato disponível no mercado custa R$ 15 mil. Uma diferença de valor importante para a aquisição do equipamento em tempos da pandemia, que tem como um dos sintomas mais graves a alteração das condições respiratórias de seus pacientes.

“Todas as fases operacionais do ventilador pulmonar que produzimos são controladas eletronicamente. O equipamento terá a capacidade de atender pacientes em UTI, entubados, em estado grave e com sérias complicações respiratórias”, afirma o professor Raul González Lima, especialista em Engenharia Biomédica e um dos coordenadores do projeto.

Dario Gramorelli, da Associação dos Engenheiros Politécnicos, um dos profissionais que integra a equipe responsável pelo projeto, reforçou a importância da cooperação entre o Senai e a Poli. Ele relembrou, também, os acordos celebrados entre as duas instituições, que possibilitou o uso dos laboratórios do Senai pelos alunos da pós-graduação da USP. “Não temos nenhuma dúvida de que o desenvolvimento desse componente, o fuso, foi fundamental para o nosso projeto. E continuará sendo. Temos uma produção em caráter de escala. Esta semana, fabricamos 5. Na próxima, 30. E, na outra, serão 300 unidades”, ressaltou.

O Inspire deverá ser um turning point nas experiências de suporte à vida. Principalmente, em regiões remotas do país. Depois de aprovado na fase de testes técnicos, o equipamento aguarda aprovação da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).

“Agradeço demais o conhecimento obtido durante a reunião de hoje. É impressionante a qualidade científica e técnica dos profissionais do Senai e dos pesquisadores que integram a equipe da USP. Esta será uma tecnologia que deverá mudar o padrão mundial de cuidado com pacientes que apresentem tais dificuldades respiratórias”, reforçou o presidente do Conic, da Fiesp, Antonio Carlos Teixeira Álvares, fez questão de reforçar que

CONSERTO DE RESPIRADORES

Como parte das ações de enfrentamento da Covid-19,  Senai-SP montou uma rede de recuperação de respiradores. A Escola Senai Mariano Ferraz, na Vila Leopoldina, se tornou um dos postos avançados desta batalha. Lá, os técnicos do Núcleo Odonto-Médico-Hospitalar Manoel Amaral Baumer estão capacitando representantes de montadoras para o reparo de respiradores artificiais. O núcleo é referência na área de manutenção de equipamentos biomédicos e oferece mais de dez cursos na área. Desde o dia 28 de abril, já foram recuperados 59 respiradores. Em uso, nos hospitais, cada equipamento tem a capacidade de salvar a vida de dez pessoas.

 

Voltar

Contato

Edifício Sede FIESP
Av. Paulista, 1313
CEP 01311-923 - São Paulo/SP
(11) 3549-4200
contato@fiesp.com.br